Parceria com EUA acelera desenvolvimento da vacina contra a Zika

O Ministro da Saúde Marcelo Castro afirmou nesta quinta (11), que, em até 12 meses, o Brasil poderá desenvolver a vacina contra o vírus Zika, fruto de uma parceria entre a Universidade do Texas, nos Estados Unidos, e o Instituto Evandro Chagas, no Brasil.

“Há um grande otimismo de que poderemos desenvolver essa vacina em um tempo menor do que o que estava previsto. Aproximadamente, dentro de um ano, poderemos ter a vacina desenvolvida, podendo ser menos. Depois, vêm os testes e ensaios clínicos e a produção da vacina para poder ser comercializada e aplicada” (Marcelo Castro).

Para atingir essa meta, o Brasil liberou orçamento para a execução das pesquisas, na ordem de US$ 1,9 milhão, com desembolso em cinco anos.

Apesar do curto espaço de tempo previsto, a vacina pode demorar cerca de três anos para chegar à população, pois ainda passará por testes clínicos para só depois poder ser produzida, comercializada e aplicada, como afirmou o ministro.

Além da vacina, o governo foca esforços no combate do vetor do vírus, o mosquito Aedes aegypti. No próximo sábado (13), haverá uma mobilização nacional com 220 mil militares do Exército, Marinha e Aeronáutica, no intuito de visitar cerca de 3 milhões de residência em 356 municípios, conscientizando a população sobre os procedimentos básicos para combater o mosquito.